Poetrix

OFICINA CRIATIVA DE POETRIX

Organização de Marilu F. Queiróz

O tema será livre.
O objeto da oficina será: Fazer poetrix

E o que é Poetrix?

Significado de Poetrix Por Hélio Darlan Martins Torres (SE) no Dicionário Informal.

Poemeto contemporâneo criado pelo poeta baiano Goulart Gomes, no final da década de 90. É constituído com no máximo 30 (trinta) sílabas métricas distribuídas em 03 (três) versos (terceto); dissidente dos haikais, de origem japonesa. Mas diferentemente do haikai, é exigível o título do poetrix, que não entra na contagem silábica e pode dá complementariedade ao texto. “O poetrix é a forma brasileira de compor tercetos”.

Não é contra-indicado o uso de conjunções num poetrix

Me calo

Na calada da noite, me calo.
No brilho da manhã, me apago
Se no teu coração não caibo!

(Darlan Torres)

Dicas preciosas do criador do gênero!
http://www.goulartgomes.com/visualizar.php?idt=409722

 

 

  • ANA ROSA SANTANA

 

Encontro

 

olhos que olham,

momento desejado,

desejos que fluem.

 

 

  • ANA ROSA SANTANA

 

Casal

 

Calou o ciúme com beijos,

enfim silêncio…

doce insegurança!

 

 

  • ANA ROSA SANTANA

 

Cinema

 

Luz, câmera, ação…

o mocinho se prepara,

para a grande cena final.

 

  • ANA ROSA SANTANA

 

Do lar

 

sentiu o cheiro e correu…

mas não chorou…

pelo leite derramado.

  • ANA ROSA SANTANA

 

Saudade

 

amarelinha desenhada no chão…

olhou e não viu ninguém,

brincou como criança.

 

 

  • CARLA DE SÁ MORAIS-GOSSUIN

 

Alegria

 

O Sol desponta

E com ele todo meu ser

Se inflama e remonta.

 

 

  • CARLA DE SÁ MORAIS-GOSSUIN

 

Maldade

 

Triste é tua existência

Vil e mesquinha

Daqueles onde tu és rainha.

 

 

  • CARLA DE SÁ MORAIS-GOSSUIN

 

Cegueira

 

São olhos vendados

Que não querem ver

É a ignorância dos acomodados.

 

 

  • CARLA DE SÁ MORAIS-GOSSUIN

 

Vitória

 

A sede de vencer

Sem escrúpulos imediatos

Num longo entardecer

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Sonho de menino

 

sempre são grandes os sonhos

de menino antes de crescer

e deles todos esquecer…

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Bailarina

 

Dois pés no chão, dois pés no ar

o frufru fazendo vento

nas pernas da menina que dança…

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Maneiro

 

nas ruas o vendedor

passa o seu dia inteiro

sorrindo mercadorias…

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Fantasia

 

vestiu-se, o corpo e a mente

de desejos solitários.

Depois, esperou passar.

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Estrelas

 

Contava as luzes fixas

e as que riscavam o céu.

Feliz natal!

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Minutos

 

Tic-tac, tic-tac, tic-tac.

Os ponteiros se movendo

levavam o presente embora.

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Momentos difíceis

 

Não saber, não poder,

não dizer ou responder.

Silêncio é para os fortes

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Fúteis

 

Narizes empinados

Mãos fechadas

Cabeças vazias…

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Astronauta

 

Olhando da terra o céu

Ele ainda vê o rastro

De seu voo rasante…

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Máquina

 

Sim. Não. Sim. Não. Sim.

Zero. Um. Zero. Um. Zero.

O que você quiser eu sou.

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Fogos de artifício

 

Artifícios dos fogos no céu

o brilho é maior que o estouro…

Há festa!

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Ostras

 

tristezas incorporadas

completamente…

as pérolas da gente.

 

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Fotografia

 

Um momento passado

no presente exposto

para sempre…

 

  • JACQUELINE BULOS AISENMAN

 

Pecado

 

Até seria feito

se não fosse o medo

…em segredo!

 

 

  • LY SABAS

 

Bailado

 

Entre flores e cores

baila o colibri

ao som suave de suas asas.

 

 

  • LY SABAS

 

Pequeno artista

 

Disfarçada de ninho

a bela escultura

recebe os retoques finais.

 

 

  • LY SABAS

 

Solitária

 

Noite cálida.

Música suave ecoa

embalando corações.

 

 

  • LY SABAS

 

 Infantil

 

Entre gangorras da praça

correm felizes

aprendizes do amor

 

 

  • LY SABAS

 

Parceria

 

Atire a primeira rima.

Devolvo-lhe um verso.

Assim falaremos de amor.

 

  • LY SABAS

 

Abelha

 

zumbidos no ar

jabuticada em flor

camafeu de abelha

 

  • LY SABAS

 

Bailado

 

som suave de asas

flores e cores

baila o colibri

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

A mentira

 

Se me calo é por falsa opção

Mentir para mim não é vergonha

Mas chance de manter a ilusão

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

 Ilusão

 

Ilusão de ainda ser possível

Viver sem afetos e carinhos

Sem deixar a tristeza visível

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

Tormentos

 

Meus lábios mudos se negam

A falar ainda dos meus tormentos

E Se fecham para meus lamentos

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

Lábios cerrados

 

E cerrados podem consolar

Esta alma inquieta e rebelde

Em sua ânsia de querer amar.

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

Primavera

 

Cerejeiras em flores,

coração em amores,

chegou a primavera

 

 

  • MARIA LIMA DELBONI LIMA

 

Desejos

 

Meus olhos secos já não mostram

A angústia que tortura a alma

Nem os desejos que me queimam

 

 

  • MARILINA BACCARAT DE ALMEIDA LEÃO

 

 

Os Sonhos

 

Somos feitas de muitas matérias

Parte delas como os sonhos.

Eles nos arrebatam da vida

 

 

  • MARILINA BACCARAT DE ALMEIDA LEÃO

 

A vida

 

A vida é perfeita, como num

Sonho, visto, se ela estivesse

Acontecendo lá, bem longe.

 

 

  • MARILINA BACCARAT DE ALMEIDA LEÃO

 

 

Serenidade

 

Gostaria de ter quietude,

Amparo e felicidade. Mas,

Por outro lado, quero perfeição.

 

 

  • MARILINA BACCARAT DE ALMEIDA LEÃO

 

Prosperidade

 

A prosperidade, de que tanto

Precisamos, caminha pari passu,

Com o amor, que nós doamos…

  • MARILINA BACCARAT DE ALMEIDA LEÃO

 

Mundo Real…

 

Entre o real e o irreal

Transito… Me divido… Sou louca…

Sou sábia… Vivo em conflito…

 

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

 Rosto triste

 

Alma suave

Cálida imagem…

Calma vital!

 

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

Expressão

 

Pássaro voraz

Árida arte…

Face animal.

 

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

Conversa fiada

 

Fala clara

Lábios amáveis…

Piada fatal!

 

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

Poemas pensados

 

Insensatez fonética,

exagero ético…

Existência poética!

 

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

Viagem de volta

 

Benéfico regresso…

Espera patética,

Efêmero verso!

 

  • MARILU R F QUEIROZ

 

Diálogo

 

Elemento estético…

Eclética certeza,

Benéfica insensatez!

 

 

  • NEYDE BOHON

 

Na crença da fé!

Sussurra á ladainha

Sentada no canto.

 

 

  • NEYDE BOHON

 

Dívida

 

Do prazer

em aval desprazer

Os teus haveres.

 

 

  • NEYDE BOHON

 

Outono

 

Jardim outonal

entre galhos nus

Pousa a passarada.

 

 

  • NEYDE BOHON

 

 Apego

 

Ama seu velho teto

em emboloradas paredes

correm vértices de um tempo.

 

 

  • NEYDE BOHON

 

Do jardim

 

Beirando o muro

dama da noite

Perfuma o ar.

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Nascimento

 

Bicos salpicam.

Piupius explodem,

Amarelinhos cantam.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Falatório

 

Diálogos ouço.

Personagens rondam.

Na casa , silêncio.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Recado tardio

 

Que me vejas,

que me creias

Devaneios tidos.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

O baile

 

Ela dança. Ele dança.

Piruetas sucedem:

Silêncio das lembranças

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Caleidoscópio

 

Gira . Gira o espelho

Sombras, luzes,

Gira cores do tempo.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

 

O cuité

 

Tem uma cuia pra água,

Outra pro tacacá,

Ou duas pro berimbau.

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

O cuité: o despertar 2

 

Bela fruta ovalada

Duas cuias tocam

O berimbau.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

O cuité: igualdade

 

Duas cuias do cuité

Despertam berimbau

Igual ao céu e a terra.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Limpeza

 

Faço limpeza nos sapatos

Tocando berimbau

No cuité verde, verde lustroso.

 

 

  • NORÁLIA CASTRO

 

Feliz recordar

 

Anel de turquesa

Prazer inanimado

Apenas por estar ali.

 

Leave a Reply